Buscar
  • GRI Gerenciamento

GRI apoia clientes e parceiros no aumento dos índices de circularidade

Com a metodologia de diagnóstico SOLcircular, grupo impulsiona a circularidade fundamentada em critérios de recuperação, valorização e reinserção de materiais e resíduos na cadeia produtiva com seus clientes.

SOLcircular GRI
SOLcircular, processo de diagnóstico da GRI.

Os conceitos de Economia Circular vêm ganhando força na construção de um novo modelo econômico, em que recursos deixam de ser somente explorados e descartados e passam a ser restaurados e reaproveitados em um novo ciclo de vida, se tornando parte da estratégia de organizações que se preocupam com o desenvolvimento sustentável.


Reconhecendo seu papel nesta transição, o Grupo Solví, que lidera o segmento de gestão ambiental com mais de 50 empresas, oferecendo multitecnologia para o tratamento, destinação e valorização adequada de resíduos, e tem o ESG em seu DNA (Meio Ambiente, Social e Governança), fortalece sua área técnica dedicada à Sustentabilidade e Economia Circular, buscando impulsionar e direcionar de forma efetiva seus esforços no apoio de clientes e parceiros nesta transição.


E também reafirma o compromisso de continuar investindo nas atuais e em novas Unidades de Valorização Sustentável, privilegiando o desenvolvimento de soluções projetadas para o reaproveitamento de recursos.


Destacam-se ações de incremento à Logística Reversa de resíduos pós-consumo, ampliação dos serviços de triagem, manufatura e beneficiamento de resíduos em parceria com toda a cadeia de valor, o incentivo à compostagem de orgânicos e a aceleração do desenvolvimento de soluções para o tratamento de efluentes com a geração de água de reuso.


O desafio é acelerar a transição para a economia circular de baixo carbono, em busca de soluções cada vez melhores, tornando a cadeia produtiva mais sustentável agregando valor aos negócios.


SOLcircular

Diante do compromisso de impulsionar e direcionar os esforços para a implementação da circularidade em clientes e parceiros, a área de Sustentabilidade e Economia Circular criou uma metodologia própria, desenvolvida para medir a circularidade, mapear oportunidades e auxiliar na definição de estratégias de evolução, o SOLcircular.


logo SOLcircular

Nela, a empresa destaca a frente de resíduos e coprodutos, que prioriza a cadeia de suprimentos circular, no qual os resíduos são tratados como insumos em novas cadeias produtivas. O que além de propiciar a redução de custos, influencia, de forma positiva, os indicadores ESG nos quesitos gestão de resíduos e emissões de GEE, uma vez que os recursos são poupados, evitando emissões na extração da matéria-prima virgem.

Sendo assim, a adoção do SOLcircular além de qualificar o processo, propicia a entrega de valor superior aos Clientes, destaca Ariane Mayer, Gerente de Sustentabilidade e Economia Circular.


“O SOLcircular se apresenta como ferramenta de gestão e passa a compor os processos da companhia de forma independente da área de sustentabilidade e economia circular. Sendo assim, os projetos de evolução são propostos pelos líderes dos negócios e todos são acompanhados e geridos pelo braço de P&D da área, que conta ainda com o apoio da Smartie, empresa de corporate venture do Grupo, quando são identificadas oportunidades de parcerias com startups e da área de inovação.

Desta forma criamos uma rede estruturada e robusta, focada na transição para a economia circular, com destaque para a GRI e Koleta Ambiental, que lideram a implementação do método em seus clientes”, completa Mayer.

Metodologia

Para que as mudanças rumo à economia circular sejam efetivas é preciso entender seus princípios, abordagens e até mesmo sua origem e motivações. Esta compreensão apoia a mudança de mindset e engaja pessoas.


A segunda etapa do SOLcircular busca compreender o contexto da organização, identificar e mapear seus processos e fluxos, especialmente de matéria e energia. Tais informações e dados são importantes para que seja possível medir a circularidade. Aplicar o método, quantificar e qualificar estes fluxos e processos possibilita a geração dos indicadores de circularidade, que auxiliam na definição de estratégias e prioridades.


Os resultados obtidos devem ser analisados de forma crítica para buscar soluções que façam sentido para a organização. As ações propostas devem atender aos princípios da economia circular, sem desconsiderar o estágio de desenvolvimento tecnológico, a sustentabilidade financeira e a maturidade do mercado, da organização e da cadeia de valor.


Na avaliação da cadeia de resíduos, algumas questões fundamentais são levantadas pelo método, como explica Carina Lins, da área técnica de Sustentabilidade e Economia Circular do Grupo Solví.


“Fazemos perguntas-chave para entendermos a cadeia de resíduos de nossos clientes, tais como: quem são os agentes da cadeia, de onde vem, para onde vai, quem faz a transformação e em que se transformam no final do processo. As respostas irão nortear o início da jornada e, consequentemente, a proposta de soluções.”

A ferramenta está em sua primeira versão e será constantemente atualizada, acompanhando a evolução dos saberes e desenvolvimento de metodologias validadas por organizações referências no tema.


GRI

Há 22 anos, a GRI oferece soluções integradas de valorização e gerenciamento total de Resíduos aos clientes (TWM - Total Waste Management), com expertise em desenvolver estratégias personalizadas, seguras e inovadoras. A UVS (Empresa) possui aproximadamente 1000 colaboradores e atende mais de 15 segmentos, dentre os quais destacam-se o automobilístico, cosmético, siderúrgico, mineração, óleo e gás varejo e indústrias químicas.


processos GRI
Processos GRI

Com o intuito de apoiar cada vez mais clientes e parceiros na transição para o modelo de negócio circular, baseado no consumo de recursos de fontes renováveis e de baixo carbono, a empresa traz soluções alinhadas aos princípio da Economia Circular, que fazem com que os materiais circulem ao máximo de seu valor em sistemas industriais integrados, restaurativos e regenerativos.


Acompanhando o mercado e as tendências mundiais, a empresa, que é a líder no Grupo Solví em ações que promovem a circularidade nos clientes, desenvolveu e ampliou suas ações com enfoque em ESG, promovendo campanhas e projetos de Aterro Zero, Produção + Limpa e implementando soluções inovadoras voltadas para a economia circular em toda a sua gama de clientes.


Iniciativas como essa, potencializam a bagagem e experiência da GRI e entregam ainda mais valor, como destaca a Gerente de Sustentabilidade e Economia Circular do grupo, Ariane Mayer.


“A ferramenta SOLcircular nos dá informações estruturadas, mensuráveis, indicadores precisos e que mudam o patamar da GRI em seus negócios. Soluções para reinserção de resíduos e coprodutos, ações para redução da pegada de carbono, reuso de água, que já aplicamos nas unidades internas, nos dão background e agregam valor às nossas entregas aos clientes.”

Aprendendo e evoluindo sempre com cases de sucesso, a empresa foi braço primordial para o nascimento do projeto SOLcircular, em que todo o diagnóstico tomou como base demandas reais de clientes da unidade.


“O SOlcircular nos coloca em outro patamar no quesito circularidade perante o mercado. Vamos conseguir mostrar para nossos clientes e prospects que já fazemos economia circular e que temos muito mais do que soluções para destinações e valorização. A busca de estratégias inovadoras de uma forma estruturada para nossas 93 operações, pulverizadas em todo o Brasil, é um grande trunfo. A padronização e os critérios desta ferramenta trazem diferencial de operação e, consequentemente, de competitividade.”, afirma Maria Amélia Lopes, Superintendente da GRI.

Etapas da GRI

A atuação da GRI se dá ativamente dentro das unidades de negócios dos clientes, com metodologia desenvolvida para oferecer soluções de gestão e alternativas mais viáveis de tratamento e valorização de resíduos, otimizando recursos e reinserindo materiais em novas cadeias produtivas, através dos processos de: Inventário, Caracterização, Acondicionamento, Logística Interna, Operação de Centrais de Resíduos, Estudos de valorização e minimização de resíduos, Transporte Externo e Destinação Final.


“Nós implementamos uma base da GRI dentro de cada cliente para atender desde o início do processo de diagnóstico dos resíduos até a destinação final, inclusive participando da homologação de provedores externos. Tudo aqui é personalizado de acordo com a demanda do cliente, estrutura local, modelo de geração e, com isso, não temos produtos de prateleira. As soluções em cada caso são diferentes, mesmo para empresas do mesmo segmento.”, explica Maria Amélia.

A primeira fase realiza o inventário de todos os resíduos gerados no processo industrial, seguindo critérios definidos na legislação ambiental, de forma a identificar todo o ciclo de vida desses resíduos. Neste momento, os indicadores da ferramenta SOLcircular já conseguem segmentar e caracterizar os resíduos, gerando ganho de tempo e evitando desperdícios na cadeia produtiva.


A segunda, de caracterização, é realizada em laboratórios credenciados e homologados, a fim de se obter as propriedades e/ ou características de cada resíduo, analisando, assim, a viabilidade de tratamento e destinação final.


O acondicionamento é dimensionado conforme as características dos resíduos, e pode ser realizado em coletores seletivos, caçambas, tambores, contêineres, entre outros, de forma adequada para que não haja mistura e contaminação, garantindo um transporte seguro.

Em logística interna, a GRI, realiza o dimensionamento das operações de coleta e transporte interno dos resíduos, com mão de obra e equipamentos desenvolvidos para atendimento específico de cada site ou unidade produtiva, tomando todas as providências de segurança ambiental no trajeto dos resíduos.



24 visualizações0 comentário